quinta-feira, 14 de Novembro de 2013

FÉ NO PATRIMÓNIO REABRE A IGREJA DE SÃO JOSÉ DOS CARPINTEIROS


In O Corvo (14.11.2013)

«Foi uma questão de fé no património, e na possibilidade que este suscita de trazer novos visitantes à paróquia, o que levou o padre José Freire a decidir avançar para as obras de recuperação da Igreja de São José dos Carpinteiros, que reabre a 1 de Dezembro. Fechada há mais de três décadas, a igreja situada na Rua de São José voltará a abrir regularmente as portas, depois de feitas as obras mínimas para o seu funcionamento: a substituição do telhado e do pavimento e a reparação de alguns dos painéis de azulejos setecentistas que a revestem.

“A mim custa-me ver uma igreja fechada, que não esteja aberta ao culto. E acho que é uma pena que, sendo esta ainda mais valiosa do que a igreja paroquial de São José, no Largo da Anunciada, ela tenha estado fechada tanto tempo. Porque a igreja de São José dos Carpinteiros é de uma riqueza fabulosa, está é muito degradada”, afirma o padre, que há seis anos está à frente da paróquia de São José.

Mesmo sabendo que haverá um longo trabalho a fazer para recuperar totalmente a igreja – uma tarefa para a qual não bastam os recursos da paróquia -, o padre José Freire decidiu avançar para as obras mínimas e reabri-la, ainda sem todo o seu esplendor. “Várias pessoas aqui do bairro me questionavam sobre quando voltaria a ser possível celebrar missa nesta igreja e, de facto, era uma pena tê-la fechada”, contou ao Corvo. [...]»

terça-feira, 25 de Junho de 2013

Finalmente!

«Começaram hoje as obras de recuperação da Igreja de São José dos Carpinteiros, obra esperada há mais de três décadas, Padre José freire demonstra o seu contentamento augurando um futuro risonho a este lugar de culto tão especial para a Freguesia e para Lisboa. Contrastando com a alegria do e ansiedade do Eng. António lobo Alves que há muito desejava este começo. Vasco Morgado Jr, não cabe em si de contente, pois a junta de Freguesia que lidera empenhou-se desde a primeira hora para que isto fosse possível acontecer, e em conversa com o Mestre António diz que tal e qual como a reconstrução da Rua da Fé, faz questão de acompanhar a obra a par e passo... É um sonho de toda a freguesia tornado realidade, disse!!!» (Vasco Morgado, Presidente da Junta de Freguesia de São José in Produções Freguesia de São José III)

sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2013

No dia de ontem, mas em 1512:


Nascia D. Henrique I de Portugal. Foi o 17º Rei de Portugal, tendo governado entre 1578 e a sua morte, 1580. É conhecido pelos cognomes de O Casto (devido à sua função eclesiástica, que o impediu de ter descendência legítima), O Cardeal-Rei (igualmente por ser eclesiástico) ou O Eborense / O de Évora (por ter sido também arcebispo daquela cidade).

Fonte: Lisboa Story Centre

quinta-feira, 24 de Janeiro de 2013

Recuperação da Igreja agendada para Março!

«Depois do esforço da Junta de Freguesia de São José na recuperação da fachada principal da Igreja de São José dos Carpinteiros, considerando agora o apoio da CML para a fachada lateral (a começar assim que acabar a chuva) mais nos cabe a honra de informar que a JF e a paróquia de São José com o apoio do patriarcado prevêem começar a continuação da recuperação integral deste marco histórico da nossa Lisboa a partir de Março de 2013.» (in Facebook)

quarta-feira, 2 de Maio de 2012

1 de Maio – dia de São José Carpinteiro

Infância de Jesus – 1620 - Gerritt van Honthorst - óleo sobre tela - The Hermitage S. Petersburgo

quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

Dúvida chegada do Brasil:


«Assunto: Brasão, Escudo ou Insígnia
Para: amigosigrejasjose@gmail.com

Prezado, meu nome é Daniel Marques Pereira vivo na região da Grande Proto Alegre, Brasil. Recentemente meu irmão adquiriu uma peça, canhão, encontrado junto a barra do estuário Guaiba com a Laguna dos Patos no Rio Grande do Sul, Brasil. Estou tentando identificar a origem da peça, inicialmente estou fazendo comparações com imagens pesquisadas na internet, neste momento identifiquei as imagens da Igreja de São José algumas semelhanças na peça. Gostaria se possível algum tipo de ajuda na identificação.

Estou usando termos de pesquisa como: Brasão; Barroco; Ovalado

Em diversas ocasiões as pesquisa retornaram materiais a respeito da Igreja e da Confraria de São José dos Carpinteiros.

Muito obrigado
Daniel Marques Pereira»

Aconteceu

Um Bairro Histórico a Proteger

As ruas de Santa Marta e São José não podem continuar ao abandono! São duas ruas de um Bairro Histórico com um património importantíssimo. A Rua de São José tem que ser muito mais do que a ponta das traseiras da Avenida!

Ler: http://www.cidadanialx.blogspot.com/2012/02/reabilitacao-comandada-distancia-por.html.

quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011

Fachada principal de cara lavada


A fachada principal da igreja está limpa, seguir-se-á a fachada sobre a Rua da Fé. Obra a cargo da Junta de Freguesia de São José. Obrigado!

quinta-feira, 3 de Novembro de 2011

Concerto, amanhã, na Igreja do Menino Deus


A Música Sacra no tempo de D. João V (Compositores de 1711 a 1750)

João Rodrigues Esteves: “Pinguis est Panis”
Johann Sebastian Bach: Ária “Schlummert ein, ihr matten Augen”
G.Ph.Telemann: Cantata “Ihr Völker hört” (Am Feste der heiligen drei Könige)
Johann Sebastian Bach: Sonata em Si bemol Maior, BWV 1021 Adagio/Vivace/Largo/Presto
João Rodrigues Esteves: “Regina Caeli Laetare”

La Nave Va - Ensemble Barroco
Maria Luísa Tavares, Mezzo-Soprano
Armando Possante, Barítono
António Carrilho, Flauta de Bisel
Edoardo Sbaffi, Violoncelo
Jenny Silvestre, Cravo

ENTRADA LIVRE
IGREJA DO MENINO DEUS - LARGO DO MENINO DEUS – LISBOA
Transportes: eléctrico 12, 28 e autocarro 37 (Praça da Figueira)
APOIO: Patriarcado de Lisboa e Congregação de São José de Cluny

quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

RUA DE SÃO JOSÉ: entrada de garagem em frente à Igreja de S. José (IIP)


Demolição integral do R/C desta fachada para abertura de uma entrada de garagem de um novo hotel cuja entrada principal se fará pela Av. da Liberdade. Entretanto, e durante os cerca de dois anos que durou a abertura das caves para estacionamento, podia ser observado no local uma mangueira a bombear água do interior do quarteirão para a rua! Ou seja, a Rua de S. José - e neste caso em particular, um edifício em frente de um Imóvel classificado como IIP, a Igreja de S. José e Casa dos Vinte e Quatro - é tratada como mero arruamento de serventia dos imóveis da Av. da Liberdade. É assim que a CML trata um arruamento histórico como a Rua de S. José. E é este o entendimento que a maior parte dos operadores hoteleiros têm deste arruamento e bairro histórico.


Fonte